Como armazenar produtos perecíveis?

como armazenar produtos perecíveis
7 minutos para ler

A lista de desafios do setor logístico é grande. Afinal, a cadeia de suprimentos de qualquer empresa exige múltiplas tarefas e, consequentemente, responsabilidades. Dentre elas, uma das mais difíceis é saber como armazenar produtos perecíveis.

Os bens perecíveis são aqueles que podem estragar e que possuem data de validade. Sensíveis à deterioração física, química e biológica, esses itens requerem armazenamento inteligente e planejado.

Os maiores cuidados costumam ser voltados para os alimentos. Fabricantes, agricultores e operadores logísticos que trabalham nos processos de produção alimentícia entendem o grau de dificuldade da tarefa.

O assunto é delicado para qualquer gestor. Afinal, itens do tipo precisam ser guiados por uma gestão capaz de visualizar cada característica em particular. A estocagem e a distribuição devem ser feitas de forma controlada para conservar as propriedades dos produtos com segurança.

Neste post você conhecerá os cuidados envolvidos no processo de armazenar produtos perecíveis para garantir a integridade dos itens. Confira!

Acondicionamento

Se você está lendo este artigo, o mais provável é que você não queira ver suas mercadorias estragando. Correto? Portanto, antes de tudo, é preciso entender que a maneira como se acondiciona uma mercadoria é um determinante para sua preservação.

Luz, umidade, temperatura e espaço são quesitos que devem ser estudados na hora de armazenar produtos perecíveis. Como aliadas do acondicionamento, as embalagens podem ter 5 funções:

  • primária: embala o alimento e oferece ao consumidor final pelo varejo;
  • secundária: bandeja ou filme envolvendo a embalagem primária para torná-la mais segura;
  • terciária: recipientes que possibilitam um melhor manejo da carga e unem as embalagens secundárias;
  • quaternária: paletes do padrão PBR que unitizam os contentores para o momento do transporte;
  • quinária: voltada para o transporte por meio de contêineres refrigerados ou isotérmicos, entre outros.

Monitoramento da temperatura

Acompanhar a temperatura de maneira controlada é uma estratégia para manter a segurança alimentar. O controle ajuda também a evitar perdas causadas pelas mudanças de temperatura, caso fujam da margem esperada para a conservação.

Apesar das planilhas de registro manual ainda serem utilizadas por muitas empresas, a melhor opção é contar com sensores sem fio capazes de monitorar e armazenar dados.

Para manter o produto seguro, vale a pena investir na obtenção de relatórios das variações de temperatura. Graças ao avanço tecnológico, tudo isso pode ser captado por uma central de dados na nuvem.

Armazenagem

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os integrantes da cadeia produtiva são responsáveis pela segurança dos alimentos. Portanto, eles precisam trabalhar para impedir a deterioração dos itens nos processos de estocagem e transporte.

Os gestores atuais pecam muito ao não planejar o ambiente no qual os produtos serão armazenados ou acomodados. Ao conhecer as restrições de perecibilidade de cada mercadoria, o responsável deve estar sempre atento ao tempo em que eles permanecem estocados.

Faça o possível para adequar o que for necessário de acordo com as limitações dos bens perecíveis.

Equipamentos

O ideal é que eles tenham sistemas antivibração operados por profissionais experientes.

Instalações prediais

Mantenha o foco na temperatura ideal e na higienização constante. Busque sempre evitar os riscos de contaminação seguindo os padrões estabelecidos pela Anvisa — Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Identificação dos produtos

Identifique as embalagens de todos os produtos. Inclua informações como nome, marca, fabricante, data de fabricação, prazo de validade, composição do produto e registro em órgão competente.

Além de facilitar a própria identificação das mercadorias, isso ajudará você a checar o prazo de vencimento de cada produto.

Data de fabricação e validade

Uma vez identificados, aproveite para organizá-los sempre por data de fabricação e validade. Esse método poderá ajudar na otimização do tempo e qualidade, reduzindo o número de perdas por deterioração.

Ao manusear os alimentos no fluxo logístico, ficará mais fácil gerir quais produtos devem ser comercializados e consumidos antes que estraguem. Assim, você terá como aproveitar melhor o seu estoque.

Estocagem

Dê prioridade para a manutenção de espaço entre os paletes. Isso ajudará a garantir ventilação e acesso. Não se esqueça de manter o bom controle de estoque. De preferência, use o First In, First Out (FIFO) — sempre sai o primeiro a vencer.

Transporte

Todo cuidado é pouco nessa fase do sistema. A preocupação em manter a preservação dos tipos de produtos do seu negócio não pode se restringir apenas à estocagem.

Pelo contrário, a forma com que eles são movimentados de um ponto a outro precisa continuar mantendo as particularidades dos bens. Para certificar-se de que a movimentação não se tornará um verdadeiro gargalo em sua empresa, o ideal é que você possa contar com um parceiro de confiança.

Uma boa dica é listar todas as restrições necessárias para fazer o transporte. Com elas em mão, procure por um parceiro comprovadamente capaz de atender à lista sem comprometer sua mercadoria.

Além de escolher bem a transportadora, concentre-se no momento do embarque e desembarque, pois o descuidado nessa tarefa pode trazer problemas como choque térmico e contaminação externa.

Na hora do transporte, certifique-se de que as embalagens e contêineres podem manter a ventilação dos alimentos e diminuir a variação de temperatura.

Se você estiver trabalhando com cargas resfriadas ou refrigeradas, perceba que as condições térmicas nas carroçarias equivalem às dos contêineres. Mesmo terceirizando o transporte, esteja atento a tudo o que for possível!

Empresas especializadas

Se chegou até aqui, você deve ter percebido que o processo de armazenar produtos perecíveis é complexo e exige conhecimento e experiência.

Para fazê-lo com excelência, é preciso ter as devidas certificações e licenças de órgãos governamentais. Além disso, cada atividade da cadeia logística deve ser respeitada — busque sempre entender as restrições e as condições para a preservação dos produtos.

As embalagens, por sua vez, precisam ser desenvolvidas de acordo com todas as funções requeridas — sem contar com o planejamento necessário no momento de armazenar e transportar.

Assim, buscar por soluções especializadas que garantam a eficiência do seu processo de armazenamento e que atendam às particularidades do seu negócio, fará com que você economize muitos recursos financeiros e esforços dos gestores.

A Longa é responsável por soluções de armazenagem há mais de 50 anos. Desenvolvendo projetos de estocagem e armazenagem, com diversos produtos e estruturas que se adéquam aos processos logísticos e supply chain.

Se você precisa de ajuda para armazenar produtos perecíveis, entre em contato conosco — basta clicar aqui. Em poucos passos você pode solicitar um orçamento ou encontrar um representante em sua região! Até breve!

Powered by Rock Convert
ebook - guia prático sobre armazenagemPowered by Rock Convert
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos sobre Logística e Sistemas de Armazenagem

Obrigado por se inscrever!