Como mensurar os resultados das operações de logística?

como-mensurar-os-resultados-das-operações-de-logística
6 minutos para ler

Você tem dificuldades em dimensionar a performance da logística em sua empresa? Se a resposta for positiva, é possível que os indicadores de desempenho em sua organização não estejam ajustados da melhor forma.

Eles funcionam como métricas implantadas para a avaliação periódica do desempenho de cada processo organizacional. Por meio deles é possível estudar melhor os resultados observando o que está dando certo ou não.

Nas operações de logística, os indicadores devem ser fixados conforme as estratégias. Essa definição depende do que, como e por que os serviços ou produtos são produzidos na instituição. A partir daí, fica mais fácil saber quais questões precisam ser consideradas — o estoque, a segurança das cargas, o tipo de armazenagem…

Os indicadores de desempenho devem ser relevantes para o negócio, práticos e de fácil compreensão. Com isso garantido, a medição dos resultados será muito mais eficiente.

Se você deseja tirar mais proveito em suas distribuições, acompanhe o post e descubra quais são os indicadores que fazem mais sentido nas operações de logística. Boa leitura!

Indicadores de desempenho em operações de logística

Existem diversas maneiras de calcular a performance da cadeia logística em empresas. A utilidade das métricas de desempenho está atrelada às necessidades reais da instituição. Por isso, é importante entender como a maioria deles funcionam e analisar se, de fato, parecem eficientes para os problemas específicos de cada empresa.

Propomos que você faça esse exercício de análise enquanto apresentamos os KPIs (sigla de “Key Performance Indicators”, pela qual os Indicadores de Desempenho também são conhecidos) logísticos mais importantes.

Nível médio de estoque

A grande característica de uma boa gestão de estoque está em saber trabalhar com as quantidades médias disponíveis. Manter um estoque condizente com a realidade do negócio depende do bom balanço entre a falta e o excesso.

Números excedentes elevam os custos da operação e aumentam as chances de perdas e avarias. A falta, por sua vez, pode acarretar problemas no atendimento dos pedidos, causando perda de clientes para a concorrência.

O monitoramento da demanda é a medida ideal para que você saiba qual é o nível apropriado. Ações como a análise do prazo médio de entrega dos fornecedores, a disponibilidade dos itens e o índice de produtividade são importantes para que a composição do estoque não prejudique nenhuma das partes.

Número de atendimento de pedidos

Os indicadores de atendimento de pedidos ajudam a determinar a capacidade da empresa em atender as demandas do mercado. Essa medida se dá por meio do percentual de pedidos efetuados atendidos em comparação com a composição efetiva do estoque.

Se o número for alto e fizer jus à tangibilidade do negócio, esse é um sinal de que os riscos de perder vendas por falta de itens são quase nulos.

Conferência do inventário

Quanto melhor o inventário é conferido, maior é a correlação entre os dados relativos à quantidade de itens e as informações contabilizadas pelo sistema. Portanto, o controle de recebimento do catálogo está ligado ao método de organização do estoque.

A partir de uma boa avaliação do balanço realizado no estoque é possível acompanhar números fundamentais para a verificação dos resultados — como incidência de extravios, avarias, obsolescências e outras falhas.

O acompanhamento desse indicador é uma prática excelente para conscientizar o gestor quanto à necessidade de manter o estoque organizado. A boa armazenagem trará proveito para diversos setores, como o departamento de vendas (agilizado graças à melhor verificação da disponibilidade de itens).

Índice de entregas

Você já parou para pensar na relevância de saber qual é o percentual de entregas realizadas dentro do prazo em relação ao total de pedidos enviados? Se esse número estiver fora do esperado, a gestão de transportes não vai bem.

O nível de serviço de entregas é um medidor incrível na hora de mapear os gargalos desse departamento. Por representar um processo conectado à experiência do cliente, esse KPI deve ser acompanhado e interpretado com atenção redobrada.

Seu problema pode ser, por exemplo, uma recorrência de rotas mal planejadas.

Lead time do pedido

O lead time do pedido é o cálculo do tempo total que a demanda do cliente leva para ser concluída (desde a solicitação até a entrega). O acompanhamento desse KPI é vital para o mapeamento dos erros nos processos da organização. Por meio dele, é possível controlar não só o prazo de transporte, mas também as etapas internas.

Os dados desse indicador podem servir como uma ferramenta determinante nas decisões do gestor ao permitir o melhor acompanhamento do produto na cadeia logística. Ele saberá quais etapas consomem mais tempo e quais procedimentos precisam ser melhorados.

Índice de avarias e extravios

Avarias e extravios são os grandes fantasmas dos processos logísticos, uma vez que determinam o grau de satisfação do cliente. Independentemente de ocorrerem dentro da empresa ou no momento do transporte, eles precisam ser transformados em dados para análise.

Informações desse nível de importância precisam ser inspecionadas em detalhes até que as causas dos danos sejam identificadas. Depois disso, é necessário definir as soluções para combater os prejuízos financeiros que a empresa terá.

Caso as ocorrências estejam ligadas ao momento do transporte, o dispêndio se torna ainda maior — devido ao custo de devolução (no caso das avarias), o tratamento de um novo pedido no sistema e mais uma entrega.

Monitoramento dos Custos

Como seria possível controlar os custos de uma operação se eles não fossem acompanhados? Limites financeiros, excesso de gastos e lucratividade são exemplos de questões que dependem necessariamente de cálculos exatos e bem interpretados.

Toda empresa que deseja oferecer serviços logísticos deve se organizar para ter em mãos todos dados sobre os gastos operacionais — como o custo de frete sobre as vendas, frete por pedido, avarias e extravios, reentregas, devoluções, perdas de estoque, entre outros.

Quando o gestor garante o bom controle desses dados, ele enxerga melhor o que está além do limite orçamentário.

O uso dos indicadores de desempenho é essencial para qualquer gestor que deseja ter as operações de logística reconhecidas pela qualidade oferecida! Se você gostou desse artigo, siga nossas redes sociais! Estamos no Facebook, no Twitter e no Linkedin.

Você também pode gostar
-
Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos sobre Logística e Sistemas de Armazenagem

Obrigado por se inscrever!