gráfico de crescimento orgânico empresarial

Crescimento orgânico empresarial: 5 dicas para começar o plano de expansão da sua empresa

Utilizar a estratégia de crescimento orgânico empresarial pode gerar resultados sólidos e gradativos para qualquer empresa. No entanto, é preciso planejamento e envolvimento de diversas áreas do negócio!

No mercado atual, expandir e se reinventar continuamente são palavras de ordem para que uma empresa sobreviva e mantenha sua relevância. Portanto, é natural que gestores concentrem suas energias em planos de desenvolvimento. Enquanto alguns negócios buscam atingir essas metas por meio de fusões, por exemplo, outras preferem dar passos mais estruturados e apostam no crescimento orgânico empresarial.

Mesmo que o objetivo central seja evoluir e enriquecer a instituição, esse processo pode não ser tão benéfico se acontecer da noite para o dia, sem planejamento.

Existem formas mais estratégicas para ampliar a atuação de uma empresa gradualmente, sem tropeços. E é justamente esse o assunto que abordaremos neste post. Então, continue a leitura para saber mais sobre como desenvolver seu empreendimento organicamente e ganhar muito com isso!

Por que pensar no crescimento orgânico empresarial?

Depois que uma empresa é criada, começa a gerar lucros e entregar bons resultados, os gestores começam a se questionar sobre o futuro do negócio e como será possível ampliar seu escopo ainda mais. Nesse ponto, um plano de expansão pode incluir algumas ideias, por exemplo:

  • oferta de novos produtos ou serviços;
  • abertura de filiais;
  • criação de franquias;
  • entrada em novos mercados;
  • aquisição de um outro negócio;
  • fusão.

Nesse cenário, a forma mais rápida de avanço é o crescimento inorgânico, que geralmente acontece por meio de fusões ou aquisições. Desse modo, é possível dobrar de tamanho em pouco tempo. Todavia, os custos e a complexidade dessa empreitada são tão grandes quanto, e se a empresa não estiver bem preparada, essa iniciativa pode não render frutos tão positivos.

Assim, o crescimento orgânico empresarial — que se caracteriza por ser mais lento e controlado — apresenta-se como um caminho para atingir metas ambiciosas com a ajuda do planejamento e do foco na melhoria contínua.

Conquistar novos clientes — ou um novo mercado — e aumentar as vendas são excelentes resultados, porém eles impactam diretamente o orçamento e o fluxo dos processos de uma empresa. Por isso, é mais interessante obter esses ganhos de uma forma mais organizada e com base em táticas articuladas e acertadas.

Como os setores operacionais podem ajudar nesse planejamento de gestão?

Como vimos, o crescimento orgânico empresarial não acontece por acidente. Na verdade, ele é desenhado detalhadamente pela gestão. E para que ele se realize, uma empresa precisará investir em uma equipe, produtos, serviços e processos de alta performance.

Logo, o desenvolvimento gradativo precisa constantemente entregar qualidade e surpreender seu cliente. Sendo assim, ele depende muito do alinhamento e otimização dos setores operacionais, que formam a base de um negócio. Confira 5 dicas de como começar a delinear o plano de expansão orgânico da sua empresa:

1. Ajuste seu fluxo de caixa

Os recursos de uma empresa devem acompanhar seu plano de crescimento orgânico empresarial. Assim, se o fluxo de caixa não permitir essa expansão, ela não será sustentável. Por melhores que sejam as ideias dos gestores, todo seu potencial pode se perder justamente por falhar nesse aspecto.

Portanto, planeje investimentos que sustentarão as ampliações planejadas e adote estratégias inteligentes para redução de custos.

2. Atente para o RH

À medida que o negócio se desenvolve, a demanda por novos funcionários cresce. No entanto, é essencial que as contratações sejam bem pensadas, já que a empresa precisará de colaboradores eficientes, qualificados e produtivos para sua nova fase. Além disso, é importante resistir à inclinação de ter, diante do aumento de trabalho, uma equipe numerosa, mas sim mantê-la enxuta enquanto for possível.

Outra medida importante é elaborar um bom plano de cargos, salários e fluxograma das funções. O intuito é otimizar o RH e aperfeiçoar o gerenciamento de pessoas.

É extremamente ineficaz quando um funcionário que acumula cargos, não entende seu papel na empresa e tampouco tem perspectiva de crescimento. Cada colaborador deve poder visualizar de forma clara quais são suas responsabilidades e atribuições, bem como saber aonde pode chegar se fizer o seu melhor.

Essas iniciativas fazem toda a diferença na motivação e engajamento de equipes, o que favorece a entrega de melhores resultados.

3. Estude o ambiente interno e externo da empresa

Ferramentas como a matriz SWOT permitem que uma instituição conheça melhor seu segmento e a si mesmo, determinando o que é necessário saber para planejar o futuro.

SWOT é um acrônimo para os termos Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats, que traduzidos para o português para a sigla FOFA: Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças.

Com esse instrumento, a empresa levanta informações internas e gerenciais preciosas e, assim, descobre:

  • quais seus pontos fortes e como enriquecê-los;
  • como superar ou corrigir fraquezas;
  • amenizar ameaças;
  • aproveitar as oportunidades certas.

Ao mesmo tempo, é feita a análise da realidade do ambiente externo no qual a organização está inserida. Por mais que não possa manipular ou controlar os fatores externos diretamente, ela pode se manter proativa para minimizar riscos e tirar proveito de conjunturas favoráveis.

4. Use o CRM

O CRM (Customer Relationship Management ou Gestão do Relacionamento com o Cliente, em português) é um recurso que reúne informações de clientes atuais e potenciais, desde dados cadastrais — como nome ou e-mail — até elementos sobre histórico de compras, preferências e hábitos de consumo.

Com informação qualificada, a empresa tem insumos para gerenciar as interações com seus clientes de forma mais objetiva, antecipar seus desejos e demandas e criar campanhas que terão, de fato, maior impacto e lucro.

5. Aposte em qualidade e padronização

Potencialize a qualidade de seus processos operacionais — sobretudo os logísticos — com base em metodologias que propõem a melhoria contínua, como Lean ou Just in Time.

Revise e mapeie todas as atividades e resultados dos seus setores e da cadeia de suprimentos. Prefira implementar etapas mais enxutas e que entreguem o máximo de valor, eliminando gargalos, desperdícios e retrabalho. A ideia é ganhar tempo e maximizar o uso dos recursos e ativos da empresa. Por isso, considere um método como o Lean para ter:

  • etapas de produção padronizadas e em sincronia;
  • erros e falhas eliminados;
  • custos operacionais reduzidos;
  • mais produtividade;
  • diminuição dos prazos de entrega;
  • estoques enxutos;
  • fabricação puxada pela demanda;
  • aumento da eficiência e do poder competitivo.

A expansão é um caminho espontâneo para muitos negócios e ela pode ser conquistada por meio de um plano de crescimento orgânico empresarial. Com ele, a instituição trilha um caminho de evolução ordenado e harmônico. Se essa é sua intenção, aproveite nossas dicas e inicie sua rota rumo ao sucesso!

Você gostou de saber mais sobre como planejar seu crescimento orgânico empresarial? Então, que tal agora aprender como elaborar um relatório gerencial para as tomadas de decisão? Continue a leitura!

Sem comentários

Cancelar