sua-gestão de armazenagem e distribuição

5 dicas para turbinar a sua gestão de armazenagem e distribuição

A gestão de armazenagem e distribuição representa, de muitas maneiras, o ponto central da logística. Em todo o seu potencial estratégico, existem também grandes oportunidades para maximizar seus resultados. Portanto, o desafio é conseguir otimizar suas etapas e torná-las mais eficazes.

Potencializar a cadeia logística, por meio da adoção de metodologias modernas e tecnologia qualificada, é uma iniciativa essencial para elevar os níveis de produtividade e, consequentemente, conseguir gerar mais lucros para a organização.

Além disso, com processos mais inteligentes, o atendimento da empresa opera em alta performance, deixando clientes extremamente satisfeitos. Em um cenário concorrido, essa atitude é indispensável para ganhar uma posição de destaque no mercado.

Agora que você percebe o valor da gestão de armazenagem e distribuição, que tal se informar sobre dicas e boas práticas para aprimorá-la? Continue a leitura e conheça cinco delas agora mesmo!

1. Adote um layout flexível

Por mais que um espaço de armazenagem seja grande, se ele não for bem aproveitado e organizado, ele não será eficiente, e as tarefas nos centros de distribuição não serão tão produtivas. Nesse contexto, o índice de erros, perda de tempo e extravios de produtos podem ser maiores.

Em função disso, uma boa prática é investir em um layout flexível, que favoreça o fluxo de entradas e saídas de materiais. Verticalizar é uma ótima saída para otimizar o espaço e permitir a visibilidade e melhor disposição de itens.

Para isso, porta pallets, cantilevers e mezaninos são exemplos de estruturas que conferem flexibilidade, são totalmente adaptáveis e têm o objetivo de ampliar a área útil disponível.

Além disso, em um armazém, é essencial que as mercadorias sejam dispostas de modo fluido e com acesso fácil. Uma maneira de organização ideal é acomodar os itens de acordo com sua rotatividade, características e relevância. Isso faz toda a diferença na hora da localização e separação de pedidos, aumentando a eficácia do trabalho da equipe.

Para minimizar problemas com perdas de produtos que estragam por conta da data de validade, opte por sistemas inteligentes, como o dinâmico para produtos peletizados e flow racks para a área de picking e separação de produtos, que, baseados no método FIFO (First In, First Out), garantem que o último a ser estocado será o primeiro a sair.

2. Fortaleça parcerias

Os fornecedores são um elo importante na logística. Uma fonte de fornecimento falha, que entrega produtos com atrasos e avarias, apenas vai atrapalhar os processos da sua empresa. Por isso, é crucial ter critério na hora de escolher esses contatos e acompanhar de perto sua performance.

Caso seu empreendimento encontre instituições confiáveis e que oferecem mercadorias de qualidade, estabeleça parcerias e estreite relações com elas. Uma boa comunicação e um relacionamento equilibrado entre as partes garantem o cumprimento das normas do contrato.

Ao se sentir valorizado, seu fornecedor vai se esforçar para oferecer para sua empresa o melhor atendimento e ainda estará mais disposto a negociar valores e condições vantajosas para o seu negócio.

Portanto, tenha em mente que é preciso zelar pela manutenção desse relacionamento, baseado em uma parceria de negócios, e caprichar no alinhamento de informações e objetivos.

Uma vez que você achou o fornecedor ideal, vale a pena automatizar os fluxos para reduzir as chances de equívocos e falhas no abastecimento.

3. Implemente recursos tecnológicos

Ter mais controle de todas as rotinas da gestão de armazenagem e distribuição é fundamental para o alto desempenho. Quando gestores têm mais domínio sobre os processos e resultados, eles conseguem mais facilmente identificar erros e gargalos e amenizar prejuízos e erros a tempo.

No entanto, como a logística é uma cadeia de etapas complexa, fica difícil fazer isso manualmente. Por isso que é praticamente impensável conseguir gerenciar efetivamente um negócio nesse setor sem a ajuda da tecnologia.

Um sistema de gestão amplamente utilizado em diversas empresas é o ERP (Enterprise Resource Planning). Ele é uma solução integrada que permite que todas as áreas de uma corporação sejam interligadas em um só local, assegurando mais controle, produtividade e o comando de informações em tempo real.

Com ele, gestores podem gerar relatórios complexos de todos os tipos e cruzar dados entre setores — agrupando resultados da logística com o financeiro ou o RH, por exemplo — e, assim, tomar decisões com total assertividade.

No mais, o software é capaz de automatizar uma série de tarefas, evitando a perda de dinheiro e tempo com retrabalho e burocracias. Além do ERP, outros grandes aliados da gestão de armazenagem e distribuição são:

  • WMS (Warehouse Management System) — criado para aprimorar as rotinas nos armazéns, o sistema informatiza processos como picking, packing, inventário, controle de estoque, entre muitos outros;
  • TMS (Transportation Management System) — governa todas as operações relacionadas à gestão de frotas (dimensionamento, consumo de combustível, manutenções etc.) e ainda tem recursos, como rastreamento veicular e roteirização.

4. Planeje os processos e o futuro

Primeiramente, por se tratar de uma área que inclui uma série de processos operacionais, uma iniciativa válida é mapear todos os procedimentos e padronizá-los.

Assim, gestores asseguram a organização e o melhor atendimento de todas as etapas. Estude a cadeia de atividades e observe como um produto é recebido, preparado e enviado até seu cliente. Reflita sobre algumas questões, como:

  • o que pode ser aprimorado nesses processos?
  • como eles podem se tornar mais rápidos, econômicos e inteligentes?
  • quais são os obstáculos das minhas operações?
  • como eliminar os gargalos e mitigar erros?
  • que recursos ou tecnologia pode elevar a produtividade no setor?

Assim, crie um mapa com todos os estágios e o revise constantemente para garantir sua funcionalidade.

Além disso, é indispensável pensar no médio e no longo prazo e avaliar a dinâmica do mercado e da demanda dos clientes. Monitore indicadores de desempenho, acompanhe fatores, como sazonalidades e tendências para poder planejar melhor seus investimentos e aquisições de insumos.

5. Crie mapas de entregas

Para aperfeiçoar a distribuição, aposte em ferramentas de roteirização, que criam mapas inteligentes de acordo com as demandas e prioridades da empresa. Com esse recurso, é possível gerar rotas levando em conta aspectos como:

  • destinos e pontos de parada;
  • prazo de entrega;
  • distâncias percorridas;
  • tamanho da frota;
  • consumo de combustível;
  • caminho mais rápido;
  • entre outras funções.

Desse jeito, pode-se elaborar esquemas de distribuição mais rentáveis e otimizados, atendendo às necessidades do negócio e dos clientes.

A gestão de armazenagem e distribuição merece toda a atenção dos gestores. Afinal, turbinar seu desempenho proporciona impactos diretos nos lucros e no bom funcionamento das outras áreas da empresa. Logo, aproveite essas dicas para melhorar a administração dessas etapas e tenha um negócio mais rentável e competitivo.

Gostou das dicas para aprimorar a gestão de armazenagem e distribuição? Quer ler outros conteúdos relevantes para o seu negócio? Então, assine nossa newsletter e receba, em primeira mão, todas as nossas novidades!

INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER:

Obrigado por se inscrever!

newsletter blog da longa industrial

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Receba nossos conteúdos por e-mail.

Seja bem-vindo à nossa newsletter!

Sem comentários

Cancelar