gestão de centro de distribuição: 6 fatores que causam atrasos

Gestão de centro de distribuição: 6 fatores que causam atrasos

Crescimento do e-commerce, aumento de pedidos fracionados, ciclo dos produtos progressivamente curto: o universo do consumo está em constante transformação e a logística precisa acompanhar esse fluxo. Nesse sentido, a gestão de centro de distribuição, que cuida da armazenagem e movimentação de materiais, se torna um elemento cada vez mais estratégico.

Uma vez otimizado, esse processo viabiliza o escoamento eficiente de produtos e serviços, a produtividade e a lucratividade, bem como outros benefícios. Se, por um lado, no mercado a pressão por resultados e a competitividade é grande, de outro, os consumidores estão mais atentos e exigentes, e não toleram atrasos.

Logo, cabe às empresas investir em uma logística proativa, que busca superar expectativas e antecipar erros para reforçar a reputação da marca e a confiabilidade por parte dos clientes. Assim, melhorar a distribuição é uma manobra inteligente que garante a disponibilidade das mercadorias certas, na hora certa e no local certo — e com custos reduzidos.

Quer entender como aprimorar suas operações? Continue lendo este post e conheça seis fatores que causam atrasos e como eliminá-los já!

1. Falta de definição da média de prazos

Prazos curtos, de fato, são um diferencial e conquistam o consumidor na hora do fechamento de um negócio. No entanto, um erro grave é divulgar datas de entrega irreais, que não foram previamente combinadas com o setor de distribuição e transporte.

Nesse caso, todo o trabalho na captação de clientes pode ter o efeito contrário: como as promessas de envio dificilmente conseguirão ser cumpridas, o resultado será usuários extremamente insatisfeitos e que podem difamar o negócio.

Para definir prazos realistas, o ideal é fazer um levantamento das médias desse atendimento, estudar o histórico de entregas e calcular um período razoável para que o serviço seja feito de ponta a ponta, considerando a movimentação no centro de distribuição e o tempo em estrada.

Muitas empresas falham ao estabelecer prazos pensando apenas no transporte e se esquecem de incluir no tempo total da entrega as etapas dos processos de distribuição — e podem gerar atrasos.

Logo, é importante pensar de forma global, avaliar o desempenho das remessas e nunca prometer o que não será possível cumprir.

2. Controle de qualidade falho

A gestão de centro de distribuição concentra muitas atividades. Entre tantas tarefas importantes, gestores precisam coordenar:

  • recebimento e expedição dos itens;
  • controle de estoque;
  • controle da conservação e validade dos artigos;
  • monitoramento da área de armazenagem;
  • inventários;
  • gestão de pedidos.

A agilidade e eficiência são essenciais para que atrasos não aconteçam. Problemas na qualidade dos processos de movimentação podem resultar em:

  • pedidos incompletos ou separados erroneamente;
  • dificuldade de localização dos itens;
  • retrabalho;
  • perda, avaria ou estrago de produtos.

Portanto, adotar uma cultura de melhoria contínua e com foco na qualidade é a melhor saída para ter uma logística eficiente. Acompanhe os processos e perceba o quanto eles podem ser melhorados ou se tornar mais ágeis. Busque constantemente por aperfeiçoamento e ferramentas que possam tornar rotinas mais eficazes e produtivas.

3. Escassez de recursos tecnológicos

Em um gancho com o tópico anterior, agilizar tarefas e entregas e ter mais qualidade e controle são empreitadas mais difíceis sem o auxílio da tecnologia. Procedimentos manuais são mais lentos e suscetíveis a erros. Ferramentas digitais, sobretudo a automação de etapas, são vitais para as rotinas logísticas.

Atualmente, adotar softwares qualificados para o setor deixou de ser um diferencial e passou a ser uma obrigação para quem quer se manter relevante no mercado. Afinal, esses sistemas são capazes de:

  • informatizar tarefas;
  • gerar mais produtividade — com eles, a equipe é capaz de fazer mais em menos tempo;
  • reduzir falhas e gargalos;
  • administrar dados e redobrar a confiabilidade das informações, minimizando situações como a expedição de pedidos errados, trocas e devoluções;
  • diminuir custos.

Para a gestão de centro de distribuição e da logística, alguns softwares são aliados fundamentais:

ERP

O Enterprise Resource Planning (ERP) é um sistema empresarial integrado que une todos os setores da empresa em um único local, centralizando processos e informações e reforçando o controle.

WMS

Voltado para a gestão de estoques e armazéns, o Warehouse Management System (WMS) apresenta funcionalidades que cuidam do recebimento, separação, endereçamento e expedição de pedidos, bem como controle das entradas e saídas de insumos e inventários.

TMS

O Transportation Management System (TMS) auxilia a gestão de transportes e coordena tarefas importantíssimas, como consolidação de cargas, criação de trajetos e rastreamento.

4. Ausência dos mapas de entregas

Um centro de distribuição com processos alinhados é indispensável para o sucesso. No entanto, falhar na entrega pode colocar tudo a perder diante do cliente. Por isso, o transporte também precisa ser otimizado. Uma maneira de fazer isso é por meio da criação de rotas inteligentes — especialmente com a ajuda do software TMS.

Os gestores podem analisar os aspectos mais importantes de cada trajeto, inserir os dados no sistema e, assim, decidir os caminhos com melhor custo-benefício ou que atendam melhor as necessidades dos clientes e do negócio. Os mapas de entrega podem ser traçados de acordo com variáveis como:

  • número de viagens;
  • volume de entregas;
  • destinos e paradas;
  • rota mais rápida;
  • caminho mais seguro;
  • condições das estradas;
  • quantidade de pedágios;
  • consumo de combustível;
  • prazos;
  • limitações de horários;
  • distância percorrida.

Com esse recurso, a empresa consegue definir a rota ideal para suas demandas, priorizando fatores cruciais para o negócio, como tempo, custos e qualidade. ​

5. Layout do centro de distribuição ineficaz

A forma como a estrutura de um centro de distribuição é disposta pode atrapalhar muito as atividades do setor e tornar os processos mais lentos. Logo, é relevante repensar o layout de acordo com o giro e o mix dos produtos, sazonalidades, necessidades de acondicionamento, entre outros fatores.

Equipamentos modernos e de qualidade fazem toda diferença no tempo gasto para a movimentação: estruturas como dinâmico, push-back e carro shuttle, por exemplo, foram desenvolvidas para maximizar o aproveitamento do espaço e otimizar as entradas e saídas de materiais — contribuindo substancialmente para o ganho de tempo nos armazéns.

6. Iluminação deficiente

Pode parecer algo simples, mas melhorar a iluminação do centro de distribuição colabora para o alcance e a visibilidade dos produtos, permitindo que eles sejam encontrados com mais rapidez. Por isso, contribui para a redução de perdas e extravios.

Um armazém com boa luminosidade é imprescindível para que as operações nesse ambiente sejam bem-sucedidas. Quanto mais fácil o acesso aos itens, maior é a qualidade e a efetividade de processos de picking, que inclui a separação e a preparação de pedidos.

Uma boa ideia para incrementar a luminosidade dos armazéns é instalar lâmpadas de LED. Além de serem muito mais econômicas, elas são seguras e não apresentam riscos no armazenamento de artigos perecíveis ou medicamentos, por exemplo.

Com a avaliação e melhora desses fatores, a gestão de centro de distribuição da sua empresa vai ser potencializada, ficar mais econômica e rápida. Sem atrasos e com mais qualidade nos atendimentos, seus clientes ficarão mais satisfeitos e seu negócio mais competitivo.

Agora que você conhece os fatores que precisam ser aprimorados para que a sua gestão de centro de distribuição não gere atrasos, saiba como a paletização ajuda no controle do seu estoque agora mesmo! Até a próxima!

newsletter blog da longa industrial

Inscreva-se em nossa Newsletter!

Receba nossos conteúdos por e-mail.

Seja bem-vindo à nossa newsletter!

Sem comentários

Cancelar