Logística inbound e outbound: o que é e qual sua importância?

logística inbound e outbound
12 minutos para ler

Para quem trabalha no ramo da cadeia de suprimentos, não é nenhuma novidade que ela é composta por uma série de etapas e ciclos produtivos que, para o sucesso, precisam ser coordenados com maestria. Essa questão é, sem dúvida, um desafio. Por isso, se debate tanto na atualidade a integração de processos e um trabalho que leva em conta divisões como a logística Inbound e a logística Outbound.

Mas, afinal, você sabe diferenciar esses dois modelos e, principalmente, conhece as etapas que os compõem? Para esclarecer e dar detalhes sobre o assunto, preparamos este post com uma série de dicas e informações úteis. Quer saber mais? Então, continue a leitura e tome nota!

Qual é a diferença entre a logística Inbound e a logística Outbound?

A palavra Inbound vem do inglês e se refere a “entrada”. Sendo assim, podemos dizer que a logística Inbound faz referência às operações pré-produtivas e produtivas, que tratam desde a matéria-prima a ser utilizada em uma fabricação até o recebimento de um produto na fábrica.

De uma forma resumida, a logística Inbound diz respeito a todos os primeiros procedimentos que acontecem dentro de uma empresa, como transporte de bens de um fornecedor para a fábrica, armazenagem etc.

Em contrapartida, a logística Outbound corresponde às atividades de dentro para fora, ou seja, quando ocorre a finalização da produção e entrega de itens para o cliente final.

Considerando a mesma explicação anterior, a palavra Outbound significa “saída” no inglês e faz referência aos processos produtivos e pós-produtivos, desde a produção, armazenagem, picking até chegar, finalmente, à entrega para o cliente final ou outras filiais da empresa.

Compreender a supply chain com essas distinções em mente ajuda os gestores a maximizarem a flexibilidade e visibilidade de todo o escoamento operacional, bem como estabelecerem a fluidez, eficácia e conformidade da cadeia.

A seguir, vamos abordar a importância desses conceitos e mostrar como eles afetam os negócios. Siga a leitura para saber mais!

Por que é importante diferenciar a logística Inbound e logística Outbound?

Na cadeia de suprimentos moderna, atividades como controle de informações e processos, e acompanhamento contínuo de indicadores de desempenho são essenciais para uma gestão eficiente.

Nesse sentido, diferenciar etapas como a logística Inbound de logística Outbound é importante para administrar cada uma delas de forma adequada — uma vez que o foco, os players envolvidos e as métricas não são os mesmos.

Por exemplo, a logística Inbound envolve a circulação de insumos e relacionamento com fornecedores. Boas práticas de armazenamento e operações internas ganham destaque nesse momento. Logo, o gestor responsável precisa ter essas prioridades em mente para saber como geri-las com o apoio das metodologias ideais.

Do mesmo modo, na logística Outbound, a atenção é voltada para as demandas dos clientes e como é feita a circulação de mercadorias após o fim da produção. Por isso, cabe ao gerente mapear as necessidades desse segmento e adotar métricas e abordagens diferenciadas.

Como esses conceitos afetam os negócios?

Conforme vimos, a distinção entre logística Inbound e Outbound auxilia empresas a terem uma visão completa do sistema e mais controle dos processos, portanto, seus impactos são muito positivos para os negócios. A seguir, mostraremos como essas concepções afetam a empresa. Veja só!

Ajudam a organizar melhor o negócio

Com essa separação, é possível ver claramente a conexão entre as etapas logísticas, o que colabora para melhorar a comunicação, integração e, sobretudo, a organização estratégica dos setores e atividades. Consequentemente, os processos se tornam mais ordenados e rápidos. Paralelamente, falhas, interrupções e gargalos são resolvidos e eliminados.

Melhoram a qualidade e otimizam o tempo dos processos

Uma vez que cada processo tem sua especificidade e pontos de atenção, compreendê-los em grupos separados é uma manobra interessante, pois permite que os indicadores certos sejam analisados.

Simultaneamente, o gerente tem uma visão holística de toda a cadeia e os passos necessários para produzir um artigo e conduzi-lo até seu consumidor final. Esse conhecimento impulsiona a equipe a investigar maneiras de melhorar as operações e torná-las mais rápidas.

Estabelecem um giro de estoque mais eficiente

estoque é um dos estágios mais sensíveis e cruciais da cadeia. Boa parte dos recursos financeiros de uma empresa está concentrada ali, então, administrá-lo da forma correta para evitar tanto o excesso quanto a falta de itens é a melhor saída para ter equilíbrio.

Com um conhecimento aprofundado de logística Inbound e Outbound, os gestores podem planejar um cronograma e garantir um giro mais ágil. O importante nesse ponto é coordenar entradas e saídas, assegurando que o estoque esteja sempre preenchido em seu nível ótimo.

A ideia é que as mercadorias fiquem armazenadas por pouco tempo e já sigam para a produção ou distribuição. Para isso, é preciso alinhar uma ponta a outra, que liga a parte Inbound (contato com fornecedor, requisição de materiais e recebimento) e Outbound (demanda de vendas e pedidos dos clientes).

Aumentam a produtividade da empresa

Mais compreensão do que é demandado em cada fase e quais são as próximas etapas, bem como menos desperdício e erros — tudo isso colabora para que a produtividade da equipe seja elevada.

Afinal, quando a gestão integra apropriadamente a logística Inbound e Outbound, cada setor tem mais precisão de suas tarefas e entende seu papel em toda a cadeia, podendo trabalhar em alta performance.

Aprimoram o relacionamento com fornecedores e parceiros

Cabe à logística Inbound medir indicadores e examinar práticas que vão propiciar:

  • compras programadas de matérias-primas, na quantidade e no momento certo;
  • reposição de estoque ao seu nível ideal;
  • gerenciamento efetivo dos fornecedores, assegurando a conformidade, entregas rápidas e de qualidade.

gestão de fornecedores e parceiros merece uma atenção especial, visto que o bom desempenho dessas fontes contribui para que a empresa consiga cumprir prazos internos e externos, tendo sempre bons produtos para ofertar aos seus clientes. O mesmo acontece com parceiros que fazem parte da logística Outbound, como é o caso de transportadoras.

A manutenção do relacionamento entre as partes é importante para garantir a fluidez das operações e assegurar vantagem competitiva para a empresa.

Promovem a redução de custos operacionais

Mais organização e otimização de processos resultam na redução de custos operacionais em diversos momentos. Por si só, a identificação de erros, retrabalho e excessos já é suficiente para promover uma sensível economia. Fora isso, alguns exemplos que comprovam a diminuição de gastos são:

  • com um giro de estoque mais rápido, a empresa se esquiva de lidar com perdas e desperdícios — o que é especialmente importante no caso de produtos farmacêuticos, alimentícios e outros que exigem um controle da validade mais rígido e acondicionamento especial;
  • como consequência do giro aprimorado, são necessários armazéns menores, menos pessoal e gastos com infraestrutura como um todo;
  • com a melhora no relacionamento com fornecedores, a reposição de materiais é mais rápida, favorecendo o giro, e existem mais oportunidades para negociar melhores preços e condições de pagamento.

Apesar de suas diferenças básicas, a logística Inbound e a logística Outbound requerem análises e estratégias focadas, no entanto, elas trabalham melhor de forma integrada.

É nesse sentido que uma empresa atinge o sucesso em toda a cadeia, atentando às necessidades e peculiaridades de cada etapa ao mesmo tempo em que garante o controle total de todos os processos.

Por que a logística Outbound requer um pouco mais de atenção?

Conforme já citamos, é muito importante enxergar os dois processos de forma integrada para funcionamento perfeito da cadeia. No entanto, é fundamental tratar a logística Outbound com mais “carinho”, tendo em vista que, de fato, é o que requer maior empenho de sua gestão.

Quer entender melhor? Vamos supor que sua empresa apenas revenda produtos acabados, ou seja, não se trata de uma fábrica. Sendo assim, podemos considerar que o processo da logística Inbound se resume ao recebimento dos materiais, conferência e endereçamento no estoque.

Já os processos da logística Outbound, para o mesmo caso, passam a ser mais complexos e importantes, pois envolvem uma gestão de estoque mais completa, requerem estruturas adequadas para armazenagem, sistemas de picking eficientes, segurança e preservação dos itens, movimentação interna no armazém, transporte, prazos etc.

Por esse motivo, dizemos que a logística Outbound, em geral, costuma ser mais delicada e requer muito mais atenção dos gestores, em relação à logística Inbound. Com isso em mente, separamos alguns cuidados importantes que toda empresa deve prezar para otimizar essas etapas. Acompanhe!

Gestão de estoque

Quando se fala em logística Outbound, não tem como não pensar em uma boa gestão de estoque. Afinal, esse trabalho é essencial para o controle e funcionamento de qualquer armazém, independentemente do tamanho. Hoje, graças à tecnologia, a vida dos gestores foi muito facilitada, mas ainda depende muito da participação humana e das tomadas de decisão.

Nesse cenário, sistemas como o WMS são extremamente funcionais e permitem um gerenciamento completo, desde os processos da logística Inbound, como o recebimento, identificação do produto e o endereçamento no estoque, até os processos que focaremos aqui, relacionados à logística Outbound, como a armazenagem, picking, movimentação interna, expedição etc.

Além do WMS, outras ferramentas tecnológicas como os coletores de dados, os códigos de barra e dashboards para relatórios são mais alguns exemplos que auxiliam a gestão de estoque hoje em dia — claro, sem abrir mão de outras práticas manuais, como inventários e contagens de produtos.

Layout do armazém

Outro fator importantíssimo para o sucesso de uma logística Outbound e que está totalmente ligado à gestão de estoque é o layout do armazém. Afinal, isso faz toda a diferença para o desempenho das atividades.

Imagine, por exemplo, ter que depender somente de operadores com empilhadeiras para coletar determinado item na prateleira, enquanto, hoje, existem estruturas mais flexíveis e tecnologias mais inteligentes capazes de agilizar esses processos.

Quer exemplos? Por que não pensar em instalar carros automáticos ou elevadores para movimentar esses produtos, de forma mais rápida, prática e segura? Ou quem sabe trabalhar com estruturas mais específicas como um porta-pallet, capaz de armazenar cargas completas já paletizadas, em vez de precisar montar item a item para os pedidos?

Enfim, existe uma infinidade de soluções modernas e adaptáveis que possibilitam a mudança e o melhoramento do layout do seu armazém, sem necessariamente precisar fazer grandes obras ou mudanças.

Capacidade de armazenagem

A armazenagem é mais um ponto importante a ser levado em consideração na logística Outbound. Assim como já falamos da importância de um bom layout do armazém, é fundamental que a sua capacidade de estoque seja compatível com a sua demanda. Caso contrário, será preciso expandir seus espaços físicos.

Para isso, também há soluções práticas e de investimentos não tão altos. É o caso dos mezaninos industriais, que possibilitam aumentar a área útil do negócio, seja para o estoque, seja para o setor administrativo, de uma forma que não demanda quebrar ou envolver a construção civil. Por meio de estruturas móveis, você consegue aumentar a capacidade de armazenagem de seu depósito e otimizar todas as atividades pertinentes a ele.

Segurança dos produtos e dos colaboradores

Dentro da logística Outbound, a segurança é fator crucial e deve ser prezada em todos os casos. Além dos procedimentos básicos da segurança do trabalho, outras práticas podem e devem ser implementadas na empresa.

Por exemplo, um armazém que não preza pela organização, conservação e arrumação de seus estoques, certamente, está colocando em risco seus operadores, assim como a preservação de seus produtos. Por isso, reforçamos a ideia de um bom layout e o uso de estruturas e equipamentos adequados.

Um pallet de aço, por exemplo, é indiscutivelmente mais resistente e higiênico que um de madeira ou plástico, o que torna a operação mais segura e limpa, evitando acidentes e desperdícios de materiais. Portanto, avalie as necessidades de mudanças e invista em equipamentos e estruturas que busquem melhorar o desempenho e a segurança da operação.

Sistemas de picking

Por fim, outro ponto fundamental para o bom funcionamento de uma logística Outbound é contar com a separação eficiente dos pedidos.

Para isso, há também os sistemas modernos e práticos de picking, que utilizam roldanas e esteiras, apenas com a força da gravidade. São os chamados sistemas Flow Rack, em que os produtos são movimentados direto do estoque para a área de separação, de forma segura e prática, sem precisar envolver maquinários pesados como empilhadeiras.

Enfim, chegamos ao final de nosso material sobre logística Inbound e Outbound, mostrando que ambos os processos têm sua importância e devem funcionar de forma integrada.

No entanto, devido à sua complexidade e volume de detalhes, sem dúvida, a logística Outbound demanda um pouco mais da sua gestão e, com certeza, é o que mais impacta o desempenho e qualidade das entregas até o consumidor final.

​Gostou do post? Quer complementar a leitura e comprovar a importância dos processos da logística Outbound dentro da empresa? Então, confira também nosso artigo sobre como evitar atrasos nas entregas de mercadorias e produtos!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos sobre Logística e Sistemas de Armazenagem

Obrigado por se inscrever!