logística inbound e outbound

Logística inbound e outbound: o que é e qual sua importância?

Para quem trabalha no ramo da cadeia de suprimentos, não é nenhuma novidade que ela é composta por uma série de etapas e ciclos produtivos que, para o sucesso, precisam ser coordenados com maestria. Essa questão é, sem dúvida, um desafio, por isso que se debate tanto hoje em dia a integração de processos e um trabalho levando em conta divisões como a logística inbound e outbound.

A logística inbound diz respeito a todos os procedimentos que acontecem dentro de uma empresa, como transporte de bens de um fornecedor para a fábrica, armazenagem etc. Em contrapartida, a logística outbound corresponde às atividades de dentro para fora, ou seja, quando ocorre a finalização da produção e entrega de itens para o cliente final.

Compreender a supply chain com essas distinções em mente ajuda gestores a maximizar a flexibilidade e visibilidade de todo o escoamento operacional, bem como estabelecer a fluidez, eficácia e conformidade da cadeia.

Neste artigo vamos abordar a importância desses conceitos e mostrar como eles afetam os negócios. Interessado? Continue a leitura e saiba mais!

Por que é importante diferenciar a logística inbound e logística outbound?

Na cadeia de suprimentos moderna, atividades como controle de informações e processos e acompanhamento contínuo de indicadores de desempenho são essenciais para uma gestão eficiente.

Nesse sentido, diferenciar etapas como a logística inbound de logística outbound é importante para administrar cada uma delas de forma adequada — uma vez que o foco, os players envolvidos e as métricas não são os mesmos.

Por exemplo, a logística inbound envolve a circulação de insumos e relacionamento com fornecedores. Boas práticas de armazenamento e operações internas ganham destaque nesse momento. Logo, o gestor responsável precisa ter essas prioridades em mente para saber como geri-las com o apoio das metodologias ideais.

Do mesmo modo, na logística outbound, a atenção é voltada para as demandas dos clientes e como é feita a circulação de mercadorias após o fim da produção. Por isso, cabe ao gerente mapear as necessidades desse segmento e adotar métricas e abordagens diferenciadas.

Como esses conceitos afetam os negócios?

Conforme vimos, a distinção entre logística inbound e outbound auxilia empresas a ter uma visão completa do sistema e mais controle dos processos, portanto, seus impactos são muito positivos para os negócios. A seguir, mostramos como essas concepções afetam a empresa. Veja!

Ajudam a organizar melhor o negócio

Com essa separação, é possível ver claramente a conexão entre as etapas logísticas, o que colabora para melhorar a comunicação, integração e, sobretudo, a organização estratégica dos setores e atividades. Consequentemente, os processos se tornam mais ordenados e rápidos, paralelamente, falhas, interrupções e gargalos são resolvidos e eliminados.

Melhoram a qualidade e otimizam o tempo dos processos

Uma vez que cada processo tem sua especificidade e pontos de atenção, compreendê-los em grupos separados é uma manobra interessante, pois permite que sejam analisados os indicadores certos.

Simultaneamente, o gerente tem uma visão holística de toda a cadeia e os passos necessários para produzir um artigo e conduzi-lo até seu consumidor final. Esse conhecimento impulsiona a equipe a investigar maneiras de melhorar as operações e torná-las mais rápidas.

Estabelecem um giro de estoque mais eficiente

O estoque é um dos estágios mais sensíveis e cruciais da cadeia. Boa parte dos recursos financeiros de uma empresa está concentrada ali, logo, administrá-lo da forma correta, evitando tanto o excesso como a falta, é a melhor saída para ter equilíbrio.

Com um conhecimento aprofundado de logística inbound e outbound, os gestores podem planejar um cronograma e garantir um giro mais ágil. O importante nesse ponto é coordenar entradas e saídas, assegurando que o estoque esteja sempre preenchido em seu nível ótimo.

A ideia é que as mercadorias fiquem armazenadas por pouco e já sigam para a produção ou distribuição. Para isso, é preciso alinhar uma ponta a outra, que liga a parte inbound — contato com fornecedor, requisição de materiais e recebimento — e outbound — demanda de vendas e pedidos dos clientes.

Aumentam a produtividade da empresa

Mais compreensão do que cada fase necessita e quais são as próximas etapas, menos desperdício e erros colaboram para que a produtividade da equipe seja elevada. Afinal, quando a gestão integra apropriadamente a logística inbound e outbound, cada setor tem mais precisão de suas tarefas e entendem seu papel em toda a cadeia, podendo trabalhar em alta performance.

Aprimoram o relacionamento com fornecedores e parceiros

Cabe à logística inbound medir indicadores e examinar práticas que vão propiciar:

  • compras de matérias-primas programadas, na quantidade e no momento certo;
  • reposição de estoque ao seu nível ideal;
  • gerenciamento efetivo dos fornecedores, assegurando a conformidade, entregas rápidas e de qualidade.

A gestão de fornecedores e parceiros merece uma atenção especial, visto que o bom desempenho dessas fontes contribui para que a empresa consiga cumprir prazos internos e externos e tenha sempre bons produtos para ofertar aos seus clientes. O mesmo acontece com parceiros que fazem parte da logística outbound, como é o caso de transportadoras.

A manutenção do relacionamento entre as partes é importante para garantir a fluidez das operações e assegurar uma vantagem competitiva para a empresa.

Promovem a redução de custos operacionais

Mais organização e otimização de processos resultam na redução de custos operacionais em diversos momentos. A identificação de erros, retrabalho e excessos por si só já é suficiente para promover uma sensível economia. Fora isso, alguns exemplos que comprovam a diminuição de gastos são:

  • com um giro de estoque mais rápido, a empresa se esquiva de lidar com perdas e desperdícios — o que é especialmente importante no caso de produtos farmacêuticos, alimentícios e outros que exigem um controle da validade mais rígido e acondicionamento especial;
  • como consequência do giro aprimorado, são necessários armazéns menores, menos pessoal e gastos com infraestrutura como um todo;
  • com a melhora no relacionamento com fornecedores, a reposição de materiais é mais rápida, favorecendo o giro, e existem mais oportunidades para negociar melhores preços e condições de pagamento.

Apesar de suas diferenças básicas, a logística inbound e a logística outbound requerem análises e estratégias focadas, no entanto, elas trabalham melhor de forma integrada. É nesse sentido que uma empresa atinge o sucesso em toda a cadeia, atentando às necessidades e peculiaridades de cada etapa ao mesmo tempo em que garante o controle total de todos os processos.

Por isso, é fundamental que os gestores procurem sempre se informar sobre boas práticas e procurar por profissionais qualificados caso tenham dúvidas de como fazer a organização da sua empresa.

Gostou do artigo e quer ler mais posts relevantes? Então, siga nossas páginas nas redes sociais — no Facebook, LinkedIn e Instagram — e confira nossos conteúdos e novidades!

Sem comentários

Cancelar