Como fazer o Planejamento e Controle de Produção (PCP) na logística?

PCP na Logística
12 minutos para ler

O gestor de logística que deseja ter um setor bem-sucedido deve se preocupar com o planejamento e controle das operações ligadas a ele. Com o aumento do nível de exigência do mercado, o Planejamento e Controle de Produção (PCP) ocupa um lugar primordial na indústria e precisa ser executado da melhor maneira.

Responsável pela gestão dos recursos operacionais de produção, o PCP acompanha o fluxo da produção indo desde o monitoramento das quantidades produzidas até a qualificação da mão de obra.

Neste artigo, você saberá mais sobre as principais informações a respeito de como desenvolver o Planejamento e Controle de Produção na sua organização vencendo de uma vez por todas os imprevistos do setor. Continue lendo e saiba mais!

O que é o Planejamento e Controle de Produção?

Como falamos brevemente na introdução, o Planejamento e Controle da Produção trata-se de um sistema responsável pelos recursos operacionais da empresa, incluindo todas as operações, a capacidade produtiva, a mão de obra disponível e outras informações envolvidas.

O conceito por trás da sigla PCP não foge daquilo que ela significa de fato: ações para garantir o planejamento, a programação, o controle e o acompanhamento de toda a produção para que a demanda do cliente seja atendida sem problemas.

Com ele, as variações entre aquilo que é planejado e o que acontece são reduzidas, já que os procedimentos internos são calculados à risca. Continue lendo para saber mais sobre os objetivos desse sistema e quais vantagens aparecerão na prática das atividades.

Quais são os objetivos do PCP?

As funções desse modelo de planejamento podem ser divididas em três bases principais:

  • planejamento: estabelece o que será produzido de acordo com a demanda do cliente, as quantidades solicitadas e quando a produção acontecerá levando em conta a capacidade das máquinas e a mão de obra;
  • programação: determina quais recursos serão utilizados do início ao fim do fluxo de produção e suas respectivas quantidades;
  • controle: monitora os processos em busca de reparar falhas e desvios identificados.

Sendo assim, optar por adotar as ações e métodos do PCP na sua empresa significa:

  • determinar o item que será entregue;
  • determinar a quantidade produzida;
  • selecionar e fornecer o material que será usado;
  • quantificar a necessidade de mão de obra;
  • calcular o prazo de execução.

Quais são os principais benefícios do Planejamento e Controle da Produção?

Tomada de decisões

Uma das principais vantagens do PCP é a base que ele dá ao gestor para que as decisões sejam tomadas com mais eficiência, fundamentadas na realidade do empreendimento.

Ao controlar o fluxo do processo produtivo da organização, esse estilo de planejamento fará com que os dados relevantes estejam sempre à mão do gestor, que poderá estudar tais informações toda vez que for preciso.

Problemas e falhas também são identificados de maneira mais eficiente e, com isso, as decisões sobre como os gargalos devem ser resolvidos são facilitadas.

Harmonia entre a produção e as vendas

Para o bem da cadeia logística de uma empresa, o ideal é que o departamento da produção esteja conectado a todos os outros — principalmente ao de vendas. Imagine a dificuldade que seria enfrentada caso o cliente comprasse uma mercadoria indisponível ou fora da linha de produção atual.

Por sua vez, o PCP auxilia essa comunicação setorial, visto que a gestão dos produtos armazenados passa a ser prioritária. A movimentação do produto dentro da cadeia é rastreada e contabilizada, proporcionando oportunidades mais amplas de planejamento.

Resultados finais mais atrativos

Outro ponto positivo do Planejamento e Controle da Produção é a capacidade de entregar resultados finais mais atrativos com custo reduzido.

Quanto mais controle for estabelecido, menor será o nível de perdas, retrabalho e desperdícios. Ao identificar com mais precisão os pontos fortes e fracos da produção e logística, você poderá atacar as não conformidades de acordo com a prioridade exigida.

O que é preciso para fazer um PCP?

Quem quer realizar um bom Planejamento e Controle de Produção precisa encontrar um modo de organizar as informações de forma clara e direta. A gestão de informações é o grande pilar do PCP, configurando-se como uma necessidade primordial.

Sendo assim, você precisará lidar com informações precisas sobre:

  • os níveis de demanda;
  • os recursos necessários para atender a demanda;
  • o tipo de operação (aqui, é importante ter dados sobre a variação de demanda x visibilidade e a relação volume x demanda).

Como implementar o PCP na sua empresa?

Ter um sistema de Planejamento e Controle da Produção é fundamental para o bom funcionamento da empresa e para o gerenciamento de riscos. Porém, alguns cuidados devem ser tomados no momento de implementá-lo na sua empresa.

A primeira necessidade é que a equipe responsável esteja capacitada para trabalhar com o PCP, pois ela lidará com informações que precisam ser analisadas de forma cautelosa. Qualquer falha de análise no início da cadeia pode trazer prejuízos para o resultado final da empresa.

Tendo pessoas capacitadas para fazer o trabalho, o gestor deve investir em ferramentas que auxiliem a atividade. Para que o PCP seja desempenhado de forma eficaz, recursos são necessários. Quanto mais recursos tiver ao seu dispor, melhores serão os resultados.

Após se certificar da disponibilidade de recursos, o PCP deve ser implementado por etapas que precisam ser realizadas em uma sequência lógica. Cada uma delas depende da anterior e todas as informações geradas devem ser precisas, pois essa será a base de toda a cadeia produtiva.

Quais são as etapas do PCP?

Previsão da demanda

Se o gestor precisa saber a quantidade necessária de cada produto, seja para o setor de vendas, estoque, produção ou logística, ele precisará investir nessa etapa.

Com base em dados históricos e estatísticos, é possível identificar os itens mais vendidos, os estoques mínimos, a matéria-prima mais utilizada e a sazonalidade das vendas por meio do PCP.

A previsão de vendas responderá as perguntas sobre quantas horas a máquina precisará funcionar, quantos operadores serão necessários e quantos componentes ou quanta matéria-prima deverão ser comprados para atender a necessidade do cliente final.

Powered by Rock Convert

Planejamento de capacidade da produção

Prever a capacidade produtiva a médio e longo prazo é uma etapa que ocorre logo depois da previsão da demanda.

O planejamento de capacidade de produção a médio e longo prazo se refere ao ato de fazer planos, traçar metas e objetivos. Além disso, ele se reflete na aquisição de novas máquinas, estudando a entrada e saída daquilo que é necessário para o fluxo logístico.

Planejamento agregado da produção (PAP)

Essa etapa de planejamento funciona a médio e longo prazo, uma vez que trabalha na previsão dos níveis de produção e estoque. Com ela, as contratações e demissões de pessoas do setor de produção também entram em pauta, incluindo pontos ligados ao gasto com horas extras, por exemplo.

O objetivo dessa etapa é garantir a redução do estoque. Afinal, o funcionamento de um estoque requer espaço de armazenamento, gastos com transporte e toca em questões como o prazo de validade. Sem uma boa administração, as perdas podem ser significativas.

Programação mestra da produção (PMP)

Também conhecida pela sigla PMP, essa etapa leva em consideração a execução dos planos de produção em curto prazo. A programação bem realizada verifica e dimensiona os recursos para que a demanda em questão seja suprida em todos os aspectos.

Vale dizer que a PMP deve ser bem mais detalhada do que um estudo normal, indo além da previsão da demanda a fim de abrir caminho para ordens abertas de compras e de produção bem como de pedidos realizados.

Programação detalhada da produção (PDP)

A PDP é a etapa do PCP que define a produção de forma diária e deve abranger os seguintes itens:

  • administração dos materiais: planejamento e controle da quantidade dos componentes e matérias-primas disponíveis no estoque, novos pedidos para fornecedores e o gerenciamento dos itens críticos (itens de alto valor agregado, materiais importados que correm o risco de atrasos de entrega, entre outros);
  • sequenciamento das ordens de produção: permite que o PCP determine qual produto deverá ser produzido primeiro – tarefa de grande importância para processos produtivos que dependem de diversas fases de montagem. O objetivo é que nenhuma máquina fique parada. Ou seja, o fluxo deve funcionar de forma constante;
  • documentação para produção: emissão das ordens de produção para que a operação possa ser iniciada.

Controle da produção

Com todas as atividades encaminhadas, o PCP chega na etapa de controle. É preciso monitorar se toda a produção está ocorrendo de acordo com o planejado.

Nesse momento, identificam-se os gargalos que atrasam os processos e estimam-se os prazos para o cliente final. Normalmente, os prazos já estão definidos porque o lead time de produção deve ser conhecido pelos clientes. No entanto, ele precisa receber uma confirmação de que o seu pedido será atendido sem problemas.

Quais ferramentas podem auxiliar o PCP?

Diante de tantas etapas que envolvem diversos setores – e também empresas diferentes como os clientes e fornecedores –, a atividade do PCP se torna complexa, visto que precisa adequar os prazos de entrega de matérias-primas aos tempos internos de produção para que o cliente seja atendido no prazo estipulado.

Para isso, existem diversas ferramentas que podem auxiliar nessa gestão. Confira a seguir.

Kanban

A ferramenta de Kanban auxilia no processo de comunicação entre planejador e fábrica. Ela consiste basicamente em transformar o PMP em um quadro informativo sobre o que será produzido.

Quando se trata de um Kanban manual, dois eixos são posicionados em um quadro: um apresenta o que deve ser produzido e o outro, o status de produção de cada item. O objetivo é acompanhar o fluxo produtivo assim como identificar atrasos e gargalos.

Hoje, a tecnologia já oferece ao setor softwares que facilitam o gerenciamento dessas informações, agilizando o processo e também a resolução de problemas.

MRP – Materials Requirement Planning

O MRP, em português “Planejamento das Necessidades de Materiais” é um sistema que permite o cálculo automático das necessidades de matéria-prima para que um determinado produto final seja produzido.

Por meio da lista de materiais de cada produto, o software trabalhará de acordo com parâmetros como quantidade de estoque de segurança e lotes mínimos. Assim, o PCP terá as quantidades exatas a serem compradas para atender determinada demanda.

WMS – Warehouse Management System

O gerenciamento do estoque é, na maioria das vezes, feito em um departamento diferente do PCP. Porém, conhecer os níveis de estoques é fundamental para que a atividade de planejamento e controle da produção seja desempenhada sem falhas.

Sendo assim, se a empresa tem um sistema de gerenciamento de estoques (o WMS), o responsável pelo PCP terá acesso rápido à informação sobre a quantidade de peças disponíveis no estoque e poderá fazer sua programação de forma mais exata.

As ferramentas têm como objetivo facilitar uma atividade complexa gerando informações automáticas e confiáveis. Quanto mais tecnologia for investida em ferramentas para o PCP, menores serão as falhas.

Qual é a importância do PCP para o negócio?

Quando mais instabilidade econômica o mercado apresenta, mais as demandas tendem a ser variáveis. Isso afeta diretamente o resultado da empresa e potencializa a necessidade de ter um planejamento bem definido a fim de mitigar os riscos da operação.

Cada etapa prevista pelo PCP diminuirá os riscos porque a produção ocorrerá conforme a demanda, assim como a compra dos componentes e a definição do número de pessoas que trabalharão na operação serão realizadas de acordo com a necessidade do cliente.

Cada um desses fatores representa custos para a empresa. Quando se trabalha de forma enxuta, sem um grande número de estoque e com uma previsão de vendas acurada, os riscos de prejuízo são menores. Por esse motivo, o PCP se apresenta como um elemento de alta importância para as organizações.

Esperamos que após a leitura deste artigo você tenha notado a importância do PCP para a produção logística. O bom planejamento sempre será a primeira fase dos processos de gestão, pois, por meio dele, os objetivos são definidos e, com eles, as estratégias para a conquista dos alvos.

E aí, nosso post te ajudou a entender um pouco mais sobre planejamento e controle da produção? Temos diversos outros conteúdos que podem ajudar e eles podem chegar direto na sua caixa de entrada. Assine a nossa newsletter e potencialize o seu conhecimento!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-