Quando usar o método LIFO de estocagem?

sistema lifo
9 minutos para ler

O setor de logística é muito importante para o sucesso da empresa, mas, para que funcione de maneira adequada, a gestão do estoque precisa estar alinhada com fornecedores, clientes e setores internos (compras, vendas e marketing). Para isso, é fundamental tomar conhecimento dos principais métodos de estocagem, em especial,  LIFO e FIFO.

Se sua empresa pretende otimizar a gestão de estoques e quer obter melhores resultados, investindo em novas metodologias e reformulando a estrutura do armazém, então, tome nota das dicas que separamos abaixo! Podemos começar?

Afinal, o que define o método LIFO de estoque?

LIFO é sigla em inglês de “last in, first out” e se refere ao método de movimentação de estoque em que o último produto a entrar deve ser o primeiro a sair. O método LIFO deve ser utilizado em estoques com grande rotatividade que não tenham produtos de curto prazo de validade, pois os primeiros produtos a entrar ficam por um período maior no estoque.

Agora que sabemos o que é o método LIFO, destacaremos alguns dos principais pontos que devemos avaliar para sua aplicação no estoque da sua empresa. Confira!

O que é preciso levar em consideração ao implantar o método LIFO?

A seguir, separamos uma pequena lista de fatores importantes para implementação do método LIFO em seu estoque. Confira!

Tipos de produtos em estoque

Como vimos, LIFO é o método em que o último produto colocado em estoque deverá ser vendido primeiro. Dessa forma, teremos sempre em estoque produtos mais antigos. Por isso, se utilizarmos esse método em produtos com prazo de validade curto, poderemos ter perdas, prejuízos e, consequentemente, diminuição de lucro.

Assim, esse tipo de estocagem é recomendado para mercadorias com prazo de validade mais longo, como arroz, feijão e outros produtos de mercearia, ou que não tenham validade, como celulares, TVs e eletrônicos em geral.

Como o fluxo no estoque é variável e depende do desempenho de vendas e de outros fatores do mercado, mesmo esses produtos que tenham prazo de validade longo ou cuja tecnologia esteja para ser substituída devem ser rigorosamente controlados pelo gestor.

E, se o fluxo de entrada e saída não for suficiente para que esses produtos saiam do estoque no período adequado, o método LIFO deve ser substituído pelo FIFO, para evitar perdas e diminuição do lucro.

Powered by Rock Convert

Um exemplo é um estoque de aparelhos celulares para o qual foi adquirida uma quantidade de itens, mas, antes que todos fossem vendidos, uma nova versão foi lançada e, também, adquirida.

O setor de vendas deverá se empenhar em vender o quanto antes a versão mais antiga para alcançar o valor mais alto possível do produto mais antigo. Assim, o estoque deverá ter a nova versão em área diferente ou utilizar o método FIFO, em que o produto adquirido há mais tempo deverá ser vendido primeiro.

Redução de danos no estoque

Rapidez e eficiência com gestão de qualidade do espaço é o grande desafio dos gestores de estoque. E isso só é possível se for implementada uma estrutura fluida com controle rigoroso dos produtos estocados e sua validade e integração dos setores de compra e venda para entender o fluxo das mercadorias.

Pensar em estoque é pensar em movimento. A todo tempo, os produtos são movimentados e, quanto mais ocorre a necessidade de mudanças de lugar e posição, mais aumenta o risco de esses produtos serem danificados — por uma queda, por exemplo.

O método LIFO facilita o manuseio e diminui os riscos de danificar os produtos porque não há necessidade de várias mudanças de posição no estoque. Esse método de movimentação é compatível e deve ser associado com o sistema de verticalização em estrutura de armazenagem como Drive-in e Drive-through, pois otimizam o espaço.

Cálculo do valor do estoque

A valoração do estoque é importante para calcular impostos e lucro. Como a aquisição de produtos pode ocorrer em períodos e com valores diferentes, para avaliar o valor do estoque pode-se dar a cada produto seu valor real e dividir o total pela quantidade existente em estoque.

Ao utilizar o método LIFO, você vai calcular como se todos os produtos tivessem o valor dos últimos produtos adquiridos, assim, você terá um valor mais próximo ao valor de mercado, pois será o último valor de aquisição considerado, mesmo tendo em estoque produtos adquiridos por um valor menor.

O método LIFO é ainda mais vantajoso caso esteja ocorrendo um período de alta nos preços, pois será considerado para cálculo do lucro o último valor, ou seja, o valor mais alto de compra. Dessa forma, é diminuído o valor do lucro e, em consequência, o valor dos impostos devidos.

Prazo de entrega

O mercado está mais competitivo e, além de qualidade, o tempo é outro composto que é valorado pelo mercado e ajuda a influenciar o cliente na hora de decidir por uma marca. Sendo assim, a rapidez é diferencial de peso na conquista do seu cliente e agrega valor ao produto.

Cumprir o prazo da entrega ajuda na composição de uma boa imagem e reputação da sua marca. Um cliente satisfeito se fideliza e gera marketing positivo, indicando seus produtos e serviços devido à experiência pessoal de compra. Por isso, o controle dos produtos em estoque é vital para a estruturação e desenvolvimento da sua empresa.

Afinal, qual a diferença entre LIFO e FIFO?

Já explicamos o significado do método LIFO e quando ele é mais recomendado. Já o FIFO (first in, first out) é justamente o contrário. Ou seja, o primeiro produto que entra no depósito é também o primeiro a sair. Sendo assim, pode-se considerar esta segunda opção mais recomendada para estoques que precisam de uma movimentação mais dinâmica e tempo menor de estocagem, como é o caso de alimentos perecíveis,

Afinal, esse tipo de produto não deve permanecer muito tempo estocado, mesmo que haja toda uma estrutura preparada e adequada para seu armazenamento.

Quais as principais vantagens de implementar o método LIFO de estoque?

Se seus produtos e o fluxo são compatíveis com a utilização do método de estocagem LIFO, a empresa vai poupar tempo e espaço em sua estrutura, o que permite rapidez e, consequentemente, garante como diferencial um prazo menor de entrega aos clientes.

A gestão eficiente do estoque faz parte da composição do branding positivo da empresa. Por isso, ao analisar seus produtos e optar pelo método LIFO, você terá um sistema rápido, que auxilia a eficiência na entrega e evita danos à mercadoria.

Além disso, um cliente que recebe o produto adquirido sem danos e dentro do prazo e da validade terá uma boa memória da marca e vai procurar novamente a empresa quando tiver novas necessidades.

Para exemplificar um pouco melhor, separamos abaixo algumas das principais vantagens do método LIFO. Confira!

Controle mais simplificado da movimentação

Como dissemos, o método FIFO é indicado para produtos de rotatividade maior e que dependem de um controle muito mais apurado, como obedecer obrigatoriamente a prazos de validade, número de lotes etc. Já com o LIFO, esse controle não é, necessariamente, uma obrigação e tende a ser mais simples e flexível. Ou seja, menos trabalhoso para a gestão de estoques.

Ajuda na precificação do produto

Quem opera com estoques muito variados e de grandes quantidades sabe a necessidade de se trabalhar com giros cada vez mais rápidos. Caso contrário, o valor do estoque pode variar bastante e alguns produtos podem perder a margem de lucro.

Porém, com o método LIFO, isso é evitado ou, pelo menos, minimizado, já que os últimos produtos que entram são os primeiros a sair, sempre com preços mais atuais e acompanhando a flutuação do mercado.

E em relação ao método FIFO?

Na comparação LIFO e FIFO, o segundo também se destaca com algumas vantagens em relação ao primeiro, sendo que cabe sempre ao gestor entender as necessidades de sua empresa e conseguir escolher o melhor modelo para suas operações.

Sendo assim, podemos destacar como benefícios do FIFO os seguintes aspectos.

Mais agilidade na movimentação

Por se tratar de um método dinâmico, em que a carga tende a permanecer menos tempo nas prateleiras, o FIFO proporciona muito mais agilidade ao supply chain. Por outro lado, é fundamental que haja mais organização e planejamento na gestão, sempre dispondo de locais adequados para a estocagem do item, logo após a sua chegada, assim como estruturas inteligentes para a realização do picking.

Menos desperdícios e mais lucratividade

Ao mesmo tempo em que a movimentação se torna mais dinâmica, automaticamente os processos têm custos reduzidos e se evitam desperdícios, já que a carga tem uma rotatividade muito grande e um giro alto. Isso também acaba proporcionando mais lucratividade para a empresa, pois gera um fluxo de venda muito mais agressivo.

Em resumo, o LIFO e FIFO são considerados os dois principais métodos de estocagem e são utilizados pelas principais empresas do mundo inteiro. Vale reforçar que cabe a cada gestor entender seus processos e definir o melhor modelo para seus negócios. Independentemente da decisão, é fundamental que qualquer empresa invista em estruturas modernas, flexíveis e eficientes para sua gestão de armazenagem.

Gostou do post? Restou alguma dúvida ou gostaria de deixar alguma sugestão sobre o assunto? Então, comente no campo abaixo e compartilhe conosco e com outros profissionais.

Você também pode gostar

Um comentário em “Quando usar o método LIFO de estocagem?

Deixe uma resposta

-
Assine nossa Newsletter

Assine nossa Newsletter

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos sobre Logística e Sistemas de Armazenagem

Obrigado por se inscrever!